sábado, 26 de abril de 2014

PRESIDENTE DA CÂMARA FEDERAL RECEBE AGENTES DE SAÚDE E FALA DA VOTAÇÃO E APROVAÇÃO DO PISO SALARIAL NACIONAL DA CATEGORIA.


O Presidente da Câmara Federal, Deputado Henrique Eduardo Alves-PMDB/RN, recebe Direção do Sindicato dos Agentes de Saúde do Rio Grande do Norte, para esclarecer como se dará a votação do piso nacional da categoria em maio e ratificar seu apoio a luta dos agentes do RN.  

O Deputado Henrique esclareceu ao Presidente do SINDAS Sr. Cosmo Mariz , que no ano passado, em respeito aos agentes do RN e a pedido do SINDAS fez de tudo para colocar o projeto de lei nº 7.495/2006 em votação, mas as estratégias do Governo Federal atrapalharam, o que não ocorrerá dessa vez, por que a Câmara não permitirá novas artimanhas do Governo Federal.  

O Deputado reafirmou que essa luta é justa e considerando que não haverá impacto financeiro para o Governo Federal, que já repassa os recursos aos municípios, ira colocar em votação e não tem dúvida da aprovação.

Deixamos claro para o Deputado Henrique, que o valor do piso que será aprovado não agrada parte dos agentes do Rio Grande do Norte, que recebem mais de R$ 950,00, mas como a maioria dos ACE e ACS só recebem um salário mínimo, o SINDAS não abrirá mão da aprovação em maio.

O Presidente do SINDAS-RN, disse ao Deputado que teme outra frustração em maio de 2014, como a que ocorreu em 2013, mas ele garantiu que dessa vez será votado, porque a Câmara Federal está convicta e não há trancamento de pauta. Disse ainda que se precisar entrar pela madrugada se entrará, mas a regulamentação do piso sairá, inadiavelmente em maio de 2014.

         Lembramos que esse ano é decisivo, e pedimos ao Deputado que leve o recado aos seus pares que independentemente de partido político quem não apoiar os agentes de saúde terá a resposta em todos os pleitos eleitorais futuros, principalmente para deputados, senadores e governadores. 


FONTE: BLOG COSMO MARIZ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade