quinta-feira, 21 de maio de 2015

Após paralisação, agentes de saúde e endemia fazem passeata na capital do AC.

Trabalhadores pedem que piso salarial seja igualado ao valor nacional.
Segundo prefeitura, até o dia 30 de maio será apresentada uma proposta.

No AC, agentes de saúde e endemia fazem protesto por piso salarial (Foto: Yuri Marcel/G1)
No AC, agentes de saúde e endemia fazem protesto
 por piso salarial (Foto: Yuri Marcel/G1)
Do G1 AC


Agentes de saúde e de endemias do município realizaram, nesta quarta-feira (20), uma passeata no Centro de Rio Branco. De acordo com o presidente do Sindicato Geral dos Servidores Municipais, José Augusto Pinheiro, o ato faz parte de uma paralisação de 48 horas iniciada ainda na terça-feira (19). A categoria pede um ajuste no piso salarial, passando de R$ 799 para R$ 1 mil, igual ao valor nacional.
“Queremos chamar a atenção das autoridades e dizer que o município de Rio Branco tem sim condições de pagar o piso dos agentes de saúde, e ainda as vantagens adquiridas pelos trabalhadores", afirmou o sindicalista.

Segundo Pinheiro, ainda nesta quarta-feira (20), os trabalhadores devem se reunir para definir se seguem com a paralisação. “Tivemos uma reunião com a prefeitura e o prefeito assumiu que vai pagar o piso salarial, mas ainda não disse como e nem quanto vai pagar. Por isso, o movimento continua. Se vamos estender e transformar para uma greve os trabalhadores vão denifir”, explica.
De acordo com o secretário da Casa Civil, André Kamai, durante a reunião com a comissão dos trabalhadores, o prefeito Marcus Alexandre, falou sobre os avanços no piso salarial da categoria. Segundo ele, quando considerado o valor da remuneração total, o município chega a pagar acima do piso.
“Hoje, os agentes de endemias e saúde recebem quase R$ 1,3 mil na composição salarial. Do ponto de vista legal, acreditamos que a insalubridade também compõe o piso, dessa forma também está acima do que foi pedido por eles”, explica.
Ainda segundo Kamai, nesse momento, a prefeitura vai discutir um piso a partir do salário base dos agentes. “Até o dia 30 de maio, vamos apresentar para eles uma proposta de organização de pagamentos até compor o piso. Propusemos aos trabalhadores que fosse estabelecida uma agenda até abril do ano. Estamos discutindo com eles essa agenda para definir quando começamos a implantação dessas mudanças”, finaliza.

No AC, agentes de saúde e endemia fazem protesto por piso salarial (Foto: Yuri Marcel/G1)
No AC, agentes de saúde e endemia fazem passeata pedindo que piso salarial dos trabalhadores do Acre, sejam igualados ao nacional (Foto: Yuri Marcel/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade