terça-feira, 16 de junho de 2015

Agentes de saúde e endemias cruzam os braços em Maribondo



(Foto: Cortesia)
Os agentes de endemias e comunitários de saúde do município de Marimbondo, no agreste alagoano, decidiram, na manhã desta segunda-feira (15), paralisar as atividades em protesto ao atraso no pagamento do salário relativo ao mês de maio. A decisão da paralisação aconteceu após reunião realizada na sede do Centro de Controle de Endemias.

Os servidores públicos municipais da saúde denunciam que o atraso de pagamento acontece desde o ano passado e algumas categorias esperam até setenta dias para receber o pagamento dos salários.
“A maioria dos servidores recebeu o mês de abril na última sexta-feira (12) e não sabem quando vão receber o pagamento referente ao mês de maio”, afirmou uma servidora.
O presidente do Sindprev de Maribondo, José Benedito dos Santos, informou que os servidores da saúde recebem o pagamento com menos atraso porque eles enviam mensalmente oficio informando uma possível paralisação caso os salários não sejam pagos.
"Os profissionais que trabalham no Programa de Saúde da Família (PSF) estão somente com o mês de maio atrasado. Mas nós precisamos ameaçar para poder receber nossos salários, isso é um absurdo” , denunciou José Benedito dos Santos.
Ele lembrou que a verba para pagar os técnicos do PSF é disponibilizada pelo governo federal, o município apenas complementa o recurso. Portanto não há justificativa para o atraso. Há uma informação extra oficial de que os enfermeiros e médicos que trabalham no PSF também devem aderir à paralisação caso o pagamento não seja efetuado nos próximos dias.
Benedito dos Santos informou que após a decisão da paralisação, o secretário municipal de Saúde, Marcelo Torres, conversou com ele, e teria informado que o município não tem recursos para efetuar a folha de pagamento. E o pior, não tem nenhuma data prevista para o pagamento dos salários.
A reportagem tentou entrar em contato com o secretário municipal de Saúde de Maribondo, Marcelo Torres, mas o celular não atende as ligações.
A assessoria de comunicação de Maribondo informou que tentaria falar com o secretário para dar um posicionamento sobre as denúncias mas até o final da edição dessa matéria, não obtivermos retorno.
Fonte: 7 Segundos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade