terça-feira, 16 de junho de 2015

Agentes de Saúde e Edemias fazem protesto por ajuste salarial na capital

Categoria paralisa atividades por 48 horas e protestam na região do Iguatemi com cartazes, banda e distribuição de informativos


Agentes de saúde e endemias de Salvador paralisaram as atividades por 48 horas, na manhã desta segunda-feira (15/6). A decisão foi tomada na última quarta-feira (10/6), após uma assembleia realizada pela categoria.
Durante a paralisação a categoria está realizando protesto por melhores condições de trabalho e o cumprimento da lei federal 12.994/14, sancionado pela presidente Dilma Rousseff, que estabelece o piso salarial no valor de R$ 1.014,00. 

Segundo Aldenilson Rangel, coordenador geral do Sindacs (Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Contendores de Doenças Endêmicas e Epidemiológicas do Estado da Bahia), o município alega não ter verbas suficientes para reajustar o salário dos servidores, que hoje ganham abaixo de um salário mínimo.
"Existe uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito ACM Neto, pois ele recebe o recurso do governo federal e não repassa. Todo mês o governo federal manda R$1.014,00 e só chega à nossas mãos R$692,00", explicou.
Ainda de acordo com o coordenador, as paralisações atrapalham o trabalho de combate à dengue, chikungunya, zika vírus e leptospirose, além do serviço de vacinação.
O coordenador garante que irá ocorrer uma próxima assembleia no dia 19 de Junho onde corre o risco da categoria decretar greve por tempo indeterminado, se não houver um acordo.  
Pacificamente, sem causar problemas no trânisto e com o apoio da Polícia Militar, o protesto segue nesta segunda, em frente ao Shopping da Bahia acompanhado de banda, cartazes e distribuição de informativos. 

Fonte:  http://www.tribunadabahia.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade