segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Exército entra na guerra contra o Aedes aegypti no Recife

Nos próximos 180 dias, militares percorrerão a capital pernambucana.
Expectativa é vistoriar cerca de 420 mil residências em toda a cidade.


Exército inicia trabalho de combate ao Aedes aegypti nas ruas do Recife (Foto: Thays Estarque)
Grupo que atua em Campo Grande esteve fazendo o mesmo
 trabalho no município de Itamaracá em setembro deste ano
(Foto: Thays Estarque)
Do G1 PE

Pelos próximos seis meses, 200 militares, entre sargentos, cabos e soldados, ajudarão no combate ao Aedes aegypti na capital pernambucana. Eles apoiarão as equipes de saúde ambiental e controle de endemias do Recife. Com o reforço, a expectativa é que 420 mil residências sejam vistoriadas até o fim da campanha. A ação teve início na manhã desta segunda-feira (7) no bairro de Campo Grande, Zona Norte da cidade. Até sexta-feira (11), outros 500 homens devem entrar em ação em 19 municípios do interior do estado.

Com um kit composto por luvas, repelente, protetor solar, lanterna para verificar focos, lavircida e panfletos informativos, os militares têm a autonomia de atuar como agentes ambientais. "Os militares vão em duplas e o agente acompanha supervisionando. Os agentes farão seus trabalhos de campo, visitando os domicílios, mas também apoiando os soldados do Exército", explica o secretário de saúde do Recife, Jailson Correia.

Ação
Cerca de 420 mil imóveis devem ser vistoriados durante os 180 dias de atuação dos militares na capital pernambucana. Os militares vão trabalhar das 8h às 17h, todos os dias da semana, sempre acompanhados de agentes de saúde. Em seis meses, os profissionais irão visitar casas em todos os bairros para identificar focos do mosquito, aplicar larvicidas em locais de água parada e orientar a população a respeito dos riscos do Aedes aegypti.

O mosquito é transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus – este último, relacionado ao aumento de casos de microcefalia no estado. De acordo com o comandante da operação em Pernambuco, o general Antônio Eudes Lima da Silva, as determinações do Comando do Exército são para que os soldados empreguem todo o apoio necessário solicitado pelo governo.

A parceria entre governo e Exército foi anunciada na última quarta (2). O número foi definido durante reunião entre o Secretário Estadual de Saúde, José Iran Costa e o Comandante Militar do Nordeste, General Manoel Pafiadache. Os soldados irão atuar como agentes de endemias e serão direcionados de acordo com o Centro Integrado de Informações, local que havia sido usado durante a Copa do Mundo e foi reativado para controle do mosquito.


Soldados visitam residências para combater Aedes (Foto: Thays Estarque/G1)
Militares visitaram residências no bairro de Campo Grande, Zona Norte do Recife (Foto: Thays Estarque/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade