terça-feira, 25 de outubro de 2016

Médicos alertam a respeito dos riscos de doenças parasitológicas no Parque Municipal em BH


Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as parasitoses são as doenças mais comuns do mundo
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS),
as parasitoses são as doenças mais comuns do mundo
Da Redação
portal@hojeemdia.com.br

O Parque Municipal Renné Américo Giannetti recebe nesta terça-feira (25) o Movimento Brasil sem Parasitose. O projeto foi criado com o objetivo de reduzir a ocorrência das doenças parasitológicas, evitando consequências severas e o óbito e, ainda, informar a população a respeito dos riscos das parasitoses e as melhores formas de prevenção. A última cidade a ser visitada este ano será Belo Horizonte, onde os atendimentos à população acontecerão nesta terça-feira (25) até quinta-feira (27).

A ação itinerante conta com uma unidade móvel de saúde que irá oferecer atendimento gratuito à população. O projeto é composto por cerca de 20 profissionais da saúde, entre médicos gastroenterologistas, enfermeiros e agentes de saúde que auxiliam no trabalho de orientação e prevenção das parasitoses.
Sobre as parasitoses
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as parasitoses são as doenças mais comuns do mundo, atingem cerca de 50% da população mundial e são responsáveis por relevantes consequências negativas na saúde dos indivíduos adultos e crianças. No Brasil, até 36% da população total sofre com alguma parasitose e, considerando somente as crianças, a prevalência sobe para 55,3%.
Além das condições precárias de higiene, as dificuldades econômicas e o desconhecimento sobre medidas preventivas são fatores que também contribuem para que as populações menos favorecidas se tornem o alvo da proliferação das parasitoses intestinais.
O Movimento Brasil sem Parasitose 
Uma unidade móvel de saúde está percorrendo cidades brasileiras, oferecendo atendimento médico gratuito à população, com o objetivo principal de informar e orientar pessoas de todas as idades sobre as formas de prevenção das parasitoses intestinais.
São três consultórios médicos e duas salas, separadas entre pré-atendimento e sala educativa. Inicialmente, a população passa pelo pré-atendimento com enfermeiros, seguindo para o atendimento com médicos gastroenterologistas ou gastroenterologistas pediátricos e, por fim, recebem informações sobre hábitos corretos de higiene e prevenção de contaminações com agentes de saúde em uma sala educativa.
A unidade móvel de 52 m2 tem capacidade para cerca de 150 atendimentos por dia e, no decorrer do projeto, estima-se que 9 mil pessoas sejam atendidas e outras 10 milhões impactadas com informações e orientações sobre a importância do controle de parasitoses nas redes sociais, site, folhetos e materiais educativos do programa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade