sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Projeto premiado capacita agentes de saúde em Cáceres

A atividade integra o projeto aprovado pelo prêmio InovaSUS

Danielle Tavares

Agente de saúde ministra oficina em Cáceres

A rede de pesca, de uso proibido no período de Piracema nos rios de Mato Grosso, foi o instrumento utilizado para mostrar aos 54 agentes de saúde e controle de endemias, de Cáceres, como cada profissional se conecta a grande Rede de Saúde do município.

A oficina “Resgate histórico e rede colaborativa com Agentes Comunitários de Saúde”, coordenada por docentes de Medicina da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), é realizada nesta quinta-feira (27.10), nas dependências da Secretaria Municipal de Turismo (Sematur).



Uma pergunta motivou os participantes: Como cada agente se enxerga nessa grande rede de saúde? “Eu sou o elo de mudança na minha comunidade. Faço a diferença para a melhor qualidade de vida”, explicou Laura Prado, que há 20 anos atua como agente comunitária de saúde, no PSF CAIC, localizado no Bairro Cidade Nova em Cáceres. Para ela, a oficina de capacitação possibilita trocar experiências e conhecer problemas e soluções desenvolvidos por seus colegas.

Outras características evidenciadas pelos participantes reforçam o seu papel, para além de agentes de saúde, mas como atores de proteção, informação, coragem e importante elo na vida das pessoas.

A professora de Medicina da Unemat, Fabiana Aparecida da Silva, uma das coordenadoras do projeto, explicou que a oficina utiliza uma metodologia ativa, que considera como ponto de partida os saberes e necessidades de cada profissional. “Eles são os sujeitos do processo. Não viemos com um tema pronto, de forma impositiva. Todo o curso é planejado a partir das suas vivências e experiências”.

Os próprios agentes ministram temas em que se sintam mais à vontade e possam compartilhar experiências. Dentre os aspectos trabalhados na oficina, gravidez adolescente, autoexame de mama, saúde mental, nutrição infantil, primeiros socorros, alcoolismo, excesso de medicamentos.

Prêmio InovaSUS

A atividade integra o projeto “Desenvolvimento de competências pedagógicas para o Ensino- Serviço: (trans)formando paradigmas”, aprovado pelo edital do Prêmio InovaSUS 2015, categoria Gestão da Educação na Saúde.

A ação é coordenada pelas professoras do curso de Medicina Unemat, Fabiana Aparecida da Silva e Denise da Costa Boamorte Cortela. Selecionado na Região Centro-Oeste, o projeto receberá a premiação de R$ 90 mil, pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Mesmo antes do repasse desses recursos, já estão sendo desenvolvidas as oficinas de formação e capacitação para docentes, acadêmicos, preceptores (profissionais de saúde que coordenam atividades de estágio) e agentes comunitários de saúde. A iniciativa ainda será estendida a gestores municipais e representantes da comunidade.

Múltiplos olhares

A oficina contou com a presença da representante da Secretaria de Gestão da Educação e Saúde do Ministério da Saúde (SGTES/MS), Caroline Zamboni de Souza, e do fotógrafo Leandro Anton, do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, responsável pelo registro dos projetos vencedores.

As 38 experiências inovadoras em saúde premiadas, de 35 cidades em 18 estados brasileiros, vão compor um livro e documentário.

Para colher imagens e diferentes percepções, a equipe selecionou 10 projetos de diferentes regiões do Brasil, que melhor representam as temáticas “Integração ensino, serviço, comunidade” e “Educação permanente em saúde”. O livro fotográfico InovaSUS/Brasil deve ser lançados até o final do ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade