segunda-feira, 27 de março de 2017

Rondônia recebe mais 8 mil frascos de repelente para prevenir o Zika Vírus em mulheres gestantes


Rondônia recebe mais 8 mil frascos de repelente para prevenir o Zika Vírus em mulheres gestantes
Da Redação

Foi entregue na tarde desta segunda-feira (27) a primeira remessa dos repelentes especiais para grávidas de Porto Velho, enviados pelo Ministério da Saúde, para prevenção do Zika Vírus, além da dengue e chikungunya. A entregue foi feita à representantes da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), com orientações do secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, e diretora da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa), Arlete Baldez.

São 2.290 frascos de repelentes, para atender à primeira fase do acompanhamento a mulheres cadastradas no Bolsa Família de cada região do município, e serão distribuídos nos cinco Centros de Referência de Assistência Social da cidade, além de um no distrito de Jaci Paraná. Ao todo, a primeira remessa conta com 8.214 frascos do repelente, para atender 4.107 mulheres cadastradas no CadÚnico em todo o estado.

Segundo o secretário de Saúde, todos os municípios de Rondônia vão receber nos próximos dias a quantidade de frascos conforme o número de mulheres cadastradas. Serão sete remessas, e cada mulher deve receber dois frascos por mês. Somente na capital, são 1.145 mulheres gestantes cadastradas no programa social, previstas na condição de vulnerabilidade a que contempla o direito ao recebimento do repelente. Em Rondônia, 4.107 mulheres grávidas devem receber o produto de prevenção a zika, dengue e chikungunya.



“Todas as pacientes que estão recebendo o repelentes, continuarão sendo monitoradas, sendo elas já incluídas no programa de acompanhamento do pré-natal nas unidades básicas de saúde, por isso que o acompanhamento tem uma vinculação. Nós queremos saber sobre o uso diário, da proteção e consequentemente dos resultados positivos de diminuição dos índices ou possibilidade de surgimentos de casos de Zika Vírus”, declarou Pimentel.

O secretário completa ainda que o repelente tem componentes especiais, apropriados para gestantes, que não causarão nenhum risco de alergia nas mulheres ou qualquer outra reação. Arlete Baldez, diretora da Agevisa, enfatiza a ação de prevenção, em que todos os estados brasileiros estão recebendo o produto, para diminuir o contado das mulheres grávidas com o mosquito aedes aegypti, transmissor do Zika Vírus e ainda da dengue e chikungunya.

A preocupação especial com as gestantes se dá pelos riscos do Zica Vírus durante a gravidez, podendo causar sérias complicações neurológicos ao bebê, como a microcefalia.

“Através do último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), de mais de 60 casos que já entraram no processo de investigação em Rondônia, nós tivemos 15 casos confirmados como microcefalia, relacionada a uma infecção congênita, que tem vários agentes que podem causar alterações neurológicas, não só o Zika Vírus. Desses 15, três já foram confirmados como decorrentes de infecção pelo Zika. Temos ainda 16 casos em investigação, e essa estatística pode mudar dependendo do encerramento desse processo”, finaliza Baldez.


Fonte: http://www.rondoniagora.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade