sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Agentes de saúde e de controle de endemias protestam contra descumprimento de piso em Vitória

Os agentes comunitários de saúde (ACS) e de controle de endemias (ACE) fizeram uma assembleia geral unificada, seguida de ato público nesta quinta-feira (3) para cobrar do prefeito de Vitória, Luciano Rezende, que cumpra a Lei 12.994/14, que estabelece o Piso Salarial Nacional das categorias.

O salário-base dos agentes em Vitória é de R$ 873, menos que um salário mínimo, sendo o único município da Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) que não aplica a lei do piso, que estabelece em R$ 1.014 o salário base de ACS e ACE.


A prefeitura alega que não têm como arcar com o impacto de R$ 62,5 mil ao mês, mas o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado (Sindsaúde-ES) vê contradições no discurso em virtude de contratos de publicidade firmados pelo executivo municipal, que ultrapassam em muito esse valor.

O ato público dos agentes coincidiu com a sessão de prestação de contas do prefeito na Câmara de Vereadores de Vitória e os servidores também protestaram na sessão. Durante o protesto, os servidores chegaram a ser ironizados pelo prefeito, que disse que “abandonar o posto de trabalho no horário de expediente e ficar com gritaria não vai adiantar”.

Os agentes de endemias são fundamentais no controle da dengue, zika, febre amarela, chikungunya e da raiva animal, doenças que correm o risco de se alastrar pelo município. Já as demandas dos agentes comunitários de saúde têm crescido na Capital com a migração dos usuários de planos de saúde para a rede pública.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade