segunda-feira, 18 de maio de 2020

Teste de vacina contra covid-19 tem resultado positivo nos EUA

Imagem do Sars-Cov-2
         Vacina testada nos EUA foi capaz de produzir
            anticorpos contra o coronavírus Sars-Cov-2
Pequeno grupo de voluntários desenvolve resposta imune contra o coronavírus em níveis semelhantes ao observado em infectados. Empresa americana passará agora para a segunda fase de testes.


O laboratório americano Moderna anunciou nesta segunda-feira (18/05) resultados preliminares positivos da primeira vacina contra a covid-19 que está sendo testada nos Estados Unidos. Ela foi capaz de gerar anticorpos contra o novo coronavírus em um pequeno grupo de voluntários saudáveis.


Segundo a empresa, a vacina produziu uma resposta imune em oito voluntários que receberam duas doses da mRNA-1237 em março. Os pacientes criaram anticorpos em níveis semelhantes ao observado em infectados que se recuperam do coronavírus Sars-Cov-2, segundo uma nota divulgada pela empresa de biotecnologia.

Os dados sugerem ainda que as pessoas que receberam doses mais altas podem ter níveis maiores de anticorpos. Os testes com 45 voluntários foram realizados pelo Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, neles três grupos com 15 pacientes receberam três diferentes doses da vacina cada um.

Segundo a Moderna, a vacina foi "de modo geral, segura e bem tolerada", sendo que os voluntários não apresentaram nenhum efeito colateral significativo. Os resultados completos da primeira fase de testes ainda não foram divulgados.

O estudo oferece um sinal de que a vacina pode fornecer proteção contra o vírus. Entretanto, os cientistas ainda tentam compreender o nível necessário de anticorpos para a defesa do organismo e quanto tempo essa proteção deve durar.

"Esses dados provisórios da primeira fase, embora preliminares, demonstram que a vacinação com mRNA-1237 possibilita uma resposta de imunidade da magnitude causada por uma infecção natural", afirmou Tai Zaks, diretor médico na Moderna.

A segunda fase dos testes recebeu a aprovação das agências reguladoras americanas e deve ser iniciada em breve com um número maior de participantes. A terceira fase, a última e mais importante para validar a eficácia da vacina, deve começar em julho.

O governo americano investiu meio bilhão de dólares no desenvolvimento da vacina da Moderna, cujos testes foram realizados pelos Institutos Nacionais de Saúde. Testes separados realizados em camundongos sugerem que a vacina pode evitar que a doença chegue aos pulmões, afirmou a empresa.

"Investimos no aumento da escala de fabricação para que possamos maximizar o número de doses que podemos produzir para ajudar a proteger o maior número de pessoas possível do Sars-Cov-2", afirmou a CEO da Moderna, Stéphane Bancel.

Até o momento, não há tratamento ou vacinas aprovadas contra a covid-19. Especialistas preveem que serão necessários de 12 a 18 meses para o desenvolvimento de uma imunização eficaz contra a doença.

RC/rtr/afp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.