sexta-feira, 29 de julho de 2016

Em greve, servidores da saúde de CG reclamam de falta de pagamento


Em greve, servidores da saúde de CG reclamam de falta de pagamento
Após praticamente um mês em greve, servidores da saúde realizaram no começo da semana movimentos de rua para informar a população dos problemas da categoria e ainda aguardam reunião com representantes do governo municipal. Os servidores da saúde de Campina Grande deflagraram greve por tempo indeterminado desde o 29 de Junho, pela forma negligente que a gestão municipal vem tratando as reivindicações da categoria. Diversas categorias da saúde também estão usando as redes sociais para reclamar e cobrar do prefeito pagamentos atrasados.

O principal motivo que levou a greve foi o não cumprimento do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos profissionais da saúde e PCCR dos ACS e ACE, porém, outros motivos acentuaram a vontade dos trabalhadores em lutar pelos seus direitos, como o não pagamento do salário dentro do mês trabalhado, falta de material de trabalho, o não enquadramento dos servidores da saúde e dos Agentes Comunitários de Saúde e Agente de Combate à Endemias nos seus respectivos planos, além dos vários ofícios informando as reivindicações e pedidos de reuniões que não foram sequer respondidos pela secretaria.

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (SINTAB) informa ainda que a categoria irá respeitar o percentual de 30% dos servidores em atividade. Destaca também que apesar dos quase 30 dias de greve, não houve sequer uma reunião entre sindicato e os representantes da administração municipal para encontrar uma solução para os pleitos da categoria e por esse motivo a greve continuará por tempo indeterminado.

De acordo com vários servidores que conversaram com a nossa equipe, através das redes sócias o atraso no pagamento do salário dos funcionários da saúde juntamente com várias outras categorias vem sendo uma prática corriqueira da atual gestão tucana. “Hoje dia 29/07 e ainda não recebemos nosso salário de Junho. Classe médica exausta fisicamente e psicologicamente. Não perco a fé que dias melhores virão!”, revelou uma funcionária da saúde que preferiu não se identificar para evitar perseguições .


Redação com Sibntab


Fonte: http://www.pbagora.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade