sábado, 11 de maio de 2013

Ter um acompanhante durante o parto é um direito garantido da gestante


A dona de casa, Ana Raquel Almeida, mora em Fortaleza e teve bebê há poucos dias. Ela diz que a presença da mãe durante o parto a deixou mais tranquila: “Bom porque qualquer coisa tem um acompanhante, alguém da família olhando, a gente não pode fazer nada, alguém da família está por perto para ver.”
Ter um acompanhante durante o parto é direito garantido da gestante. E o programa Rede Cegonhado Ministério da Saúde apoia a lei e acredita na importância do apoio da família no momento de ter um bebê.
O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, lembra que o acompanhante pode ser qualquer pessoa de confiança da gestante. “É um direito por lei federal a gestante ter um acompanhante durante o processo de parto, de sua livre escolha, pode ser a mãe, pode ser uma vizinha, pode ser o companheiro, marido, pode ser outro filho, é fundamental, é um direito que garante cada vez mais que o parto será bem feito e exigir todas as coisas de um bom parto, ser examinada, ser bem cuidada, ser bem tratada, ter analgesia, não sentir dor”, explica.
Quase cinco mil municípios de todo o Brasil já aderiram ao programa Rede Cegonha. Até 2014, o Ministério da Saúde vai investir cerca de nove bilhões e meio de reais na estratégia. Para saber mais acesse o Portal da Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade