terça-feira, 17 de outubro de 2017

Agentes de saúde vão até a Câmara pedir readequação da jornada de trabalho

Categoria quer 6 horas em campo e duas em local de livre escolha

Agentes comunitários, de saúde e de combate a endemias participam da sessão da Câmara Municipal de Campo Grande nesta terça-feira (17). A ideia é conseguir a readequação da carga horária da dos servidores da categoria.

O presidente Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais (Sisem), Marcos Tabosa explicou que o projeto reivindicado, que propõe as mudanças na carga horário foi instituído no município de Americana (SP) em 2015.

Neste modelo, os agentes trabalham 6 horas em campo e outras duas em local escolhido por eles para outras atividades, como preparar relatórios.


De acordo com Tabosa, esse projeto melhorou a qualidade de vida dos agentes e gerou economia para o município. “A carga horária desses profissionais é muito pesada e esse projeto já mostrou a eficácia”, declarou.

















A Capital tem 2,4 mil servidores, entre agentes comunitários, de saúde e de combate a endemias, que cumprem carga horária de 8 horas diárias em campo. “Isso sobrecarrega o profissional porque tem que ficar exposto ao sol”, completou



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use comentários moderados sem ofensas ou palavrões, comentários ofensivos não serão publicados.

Publicidade